quarta-feira, 10 de julho de 2013

Arrancando o que Deus não plantou (C. H. Spurgeon)




Jesus Cristo proclamou verdades que eram altamente ofensivas e censuráveis aos homens de sua época. Alguns de seus discípulos “amorosos” ficaram muito assustados, sentiram a impopularidade de tais afirmações, se aproximaram de Cristo e disseram: “Tu sabes que muitos (fariseus principalmente) ficaram ofendidos?”


Agora, nossa Salvador, em vez de fazer qualquer pedido de desculpas por ter ofendido aquelas pessoas, tornou a questão muito clara a respeito de quem se ofende com a verdade de Deus, e respondeu com uma frase que é bem digna de ser chamada de um provérbio que não devia ser esquecido pela igreja em todas as eras: “Toda planta que meu Pai celestial não plantou, será arrancada!”


Agora, temos que estar atentos, como Matthew Henry ( 1662 –1714) observou de maneira fundamental certa vez que temos muitos bons e carinhosos, mas muito fracos ouvintes, que sempre estão com medo de que vamos ofender outros ouvintes, como os discípulos se preocuparam naquele dia em relação a Cristo.


Se nunca os ouvintes ficarem ofendidos, será a prova clara de que não temos pregado o Evangelho. Podemos agradar a o homem com discursos que bajulem sua natureza caída, mas estaremos no lado oposto do que é agradar a Deus. Vocês acham que os homens naturalmente vão aplaudir aqueles que fielmente repreendê-los? Se você fizer o coração do pecador gemer e despertar sua consciência, você acha que se ele se apegar ao pecado, ele irá te agradecer por perturbar sua “paz” com seus pecados amados? Nem por isso, na verdade, deve ser nosso objetivo nem por um momento sequer, não ofender, mas testar os homens com a verdade e que eles se ofendam com suas próprias maldades, para que seus corações sejam expostos a suas próprias consciências.


Ao serem ofendidos, irão descobrir que tipo de homens são. Um ministério que nunca arranca, despedaça... não pode ser chamado ministério. Aquele que não sabe como arrancar as plantas que Deus não plantou, pouco entende do que é ser um trabalhador nas vinhas do Senhor.


Nosso ministério deve sempre ser uma matança, bem como também cura. Um ministério que mata toda falsa esperança, frustra todas as crenças erradas, elimina a confiança louca, e ao mesmo tempo treina o mais fraco ramo plantado por Deus com esperança real, trazendo conforto e encorajamento, mesmo para os seguidores mais fracos e sinceros do Cordeiro de Deus.

Um comentário:

Erinho Ferreira disse...

Parabéns, Apologeta! texto muito bom e esclarececor! mais importa agradar a Deus do que aos homens!
"Porque, persuado eu agora a homens ou a Deus? ou procuro agradar a homens? Se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo." (Gálatas 1:10)

Related Posts with Thumbnails